segunda-feira, 4 de julho de 2011

O renascer. O desafio.


O Solar dos Morgados de Vilartão

  
     "O renascer" marcou os diferentes posts publicados no blog "solarvilartao.blogspot.com".
      Desafio, teria sido equivalente porque ousa dar a conhecer         um vale de alguns quilómetros onde se integrou o Morgadio de Vilartão,  instituído no período filipino, onde se encerra séculos de história como não é frequente encontrar. Rico em vestígios históricos anteriores à ocupação romana, engloba três aldeias: Vilartão, Lampaça e Picões, no termo do extinto concelho medieval de Monforte de Rio Livre.
   Vale estratégico, com o rio Rabaçal, onde ainda hoje restam ruínas de uma ponte romana, da via romana Braga - Astorga.  Procurado para a fixação humana desde tempos muito recuados justificado pelo micro-clima (zona de transição entre terra fria e terra quente), terra fertil, abundância de água e rico em metais nobres.
   Desafio porque ousa dar vida a uma terra cheia de História.






     
     
     

4 comentários:

  1. Este solar fica infinitamente ligado aos passos do Dr Armando Eusébio .Foi consultorio, palco, albergue numa região de gente humilde , carente e reconhecida.

    ResponderEliminar
  2. Data: junho de 1966
    Local: largo do cruzeiro


    Numa janela da Casa Grande estava uma televisão virada par o largo. Em frente jovens famintos olhavam para um palco ainda escuro na esperança que surgissem aqules imagens que lhe dariam todo o prazer do mundo. Surgem elas de Inglaterra, e os olhos pequeninos de meio mundo de S Lourenço de Vilartão gritam GOOLLLLLOooo.......
    Foi noite de esperança apesar das lágrimas de despedida.
    A continuar........

    ResponderEliminar
  3. São muitas as histirias reais ligadas a vilatão e a esta casa e infinitos os sonhos que gerou.
    Que livro suculento será aquele que relate essas lindas vidas que envolveram a casa grande,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela visita e pelos comentários.
      Este Blog está aberto a todos os que quiserem contribuir para o manter vivo.

      Eliminar