domingo, 24 de junho de 2012

O Solar de Vilartão. 


A capela  da Casa de Portuzelo. Abação.


 

   Muitos "Outeiros Secos", evocando aqui Luís Montalvãoexistem no nosso País e esta Casa e Capela de Portuzelo é um deles, em Abação,  concelho de Guimarães.  
   São casos que nos tocam e mais forte quando são nossos estes "Outeiros Secos".
   
Ruínas da casa
   Pertenceu a Casa de Portuzelo ao meu meu 4.º avô, João José de Azevedo e sua mulher, Luísa Rosa Mendes de Meireles Nogueira Fayão.




Coberto com três pisos.
Relógio de pedra.
Pedra de armas da Casa de Bragança.


Carta de brasão de armas
   Carta de brasão de armas passado em 1748, ao meu 6.º tio avô, Ventura Fernandes de Meirelles, Familiar do Santo Ofício e morador em Guimarães, Lisboa e Porto.
   Ventura Fernandes de Meirelles deixou como herdeira sua irmã, minha 6.ª avó, Luísa Francisca Meirelles.
    







Porta lateral da capela.
   Melhor sorte teve a Casa Grande de Vilartão.
   Na imagens seguintes o que foi  a porta da copa e cozinha do solar, antes e depois das obras.








Entrada principal do Solar dos Morgados de Vilartão, princípios do séc.XVII, 
na Praça do Cruzeiro.

terça-feira, 12 de junho de 2012

O Solar de Vilartão. Pátios e jardins.



O Pátio Grande. O Pátio  das Cavalariças.






Este pátio é o maior dos três pátios, mas encontrava-se muito reduzido devido à construção de um terraço que nele tinha sido levantado.




Quase metade do pátio estava coberto por esta monstruosidade que lhe tirava luz. 




Foi construído nos anos setenta do século passado, substituindo uma interessante cobertura  em madeira  e telha que foi derrubada.



Encontrei perto de Vilartão, em Sonim, uma cobertura que mostra como seria a deste pátio antes de ser destruída.





Desta vez, este imenso terraço que aí existia...




Foi abaixo!




Devolvendo-se a este pátio o que restava da sua antiga grandeza.



Restaram as vigas de betão inertes, tal como  as nervuras de  folhas de árvores,  à espera do seu destino.



Por entre as colunas o sol foi espreitando e...




No espaço aberto o sol foi entrando e tem assistido ao crescer dum  tímido jardim. 




Onde as glicínias estão a crescer rapidamente para cobrir as nervuras das folhas daquelas árvores que  serão de pedra.