terça-feira, 12 de junho de 2012

O Solar de Vilartão. Pátios e jardins.



O Pátio Grande. O Pátio  das Cavalariças.






Este pátio é o maior dos três pátios, mas encontrava-se muito reduzido devido à construção de um terraço que nele tinha sido levantado.




Quase metade do pátio estava coberto por esta monstruosidade que lhe tirava luz. 




Foi construído nos anos setenta do século passado, substituindo uma interessante cobertura  em madeira  e telha que foi derrubada.



Encontrei perto de Vilartão, em Sonim, uma cobertura que mostra como seria a deste pátio antes de ser destruída.





Desta vez, este imenso terraço que aí existia...




Foi abaixo!




Devolvendo-se a este pátio o que restava da sua antiga grandeza.



Restaram as vigas de betão inertes, tal como  as nervuras de  folhas de árvores,  à espera do seu destino.



Por entre as colunas o sol foi espreitando e...




No espaço aberto o sol foi entrando e tem assistido ao crescer dum  tímido jardim. 




Onde as glicínias estão a crescer rapidamente para cobrir as nervuras das folhas daquelas árvores que  serão de pedra. 
















5 comentários:

  1. Belíssima obra Joaquim!!!! Não há nada como derrubar um acrescento dos anos 70.

    O ideal sera reconstruir a antiga cobertura segundo o modelo da casa de Sonim, mas imagino que isso fosse complicado e já nem deve haver homens capazes de construir de acordo com a os antigos processos.

    Um abraço

    Luís

    ResponderEliminar
  2. Olá, Luís!

    Obrigado pelo comentário.
    Não era fácil voltar a reconstruir e por certo seria muito dispendioso.
    Irá sim, ser feito um alpendre para as escadas.
    Talvez com a divulgação e apreço do alpendre de Sonim ele se eternize. São muito raros os que estão de pé e o de Sonim é muito bonito.
    Penso que muitas vezes se deve partir para outra solução
    e ali irá ser com as árvores de pedra.
    As glicínias estão a crescer muito e brevemente penso fazer um post com o pátio coberto com as glicínias.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. CONHEÇO ESTA CASA DOS MEUS TEMPOS DE ESCOLA.Que saudades da primeira piscina que estava na entrada a que chamavam tanque, de agua limpida e corrente

    ResponderEliminar
  4. Manter esta casa de pé conserva melhor o passado.
    Memórias autenticas como a sua permitem também à casa viver delas.
    Recordar é viver.
    Volte sempre.

    ResponderEliminar