sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O Solar de Vilartão. As novas vias transmontanas.






O Solar de Vilartão.
As novas estradas.



Estrada de acesso a Vilartão

   As vias de comunicação sempre foram importantes para o desenvolvimento, nomeadamente económico, das regiões e de um país.
  Entre elas, as estradas, de localidade ou nacionais são da máxima importância para a vida das populações.   



Vilartão

 Assim foi e é para Vilartão.
 Estas resultaram de um acumulado de melhoramentos e até de novas construções onde se incluem também as pontes. 


Solar de Vilartão


  No princípio do séc. XX, junho de 1901, a pedido do então presidente da Câmara de Chaves,  foi recebido e servido no solar um almoço ao então ministro das finanças, na época ministro da fazenda, Manuel Afonso Espregueira.
  Era na época presidente da Câmara de Chaves Luís Paulino e  governo do rei D. Carlos. 
  A viagem do ministro e conselheiro Espregueira teve por objetivo o conhecimento do estado da estradas.
  Esta visita foi aproveitado pelo Luís Paulino para pressionar o governo na conclusão da estrada de Braga  a Chaves e de Chaves  a Vinhais.  

M. da Conceição Garcia Carcalho


    A minha avó paterna, Maria da Conceição Garcia Carvalho, que nasceu em 1889 fez uma viagem para França, Lurdes  na companhia das primas e dos tios, donos da fábrica de relógios da Boa Reguladora por volta de 1910 de automóvel. 



http://www.ibamendes.com/2011_11_01_archive.html

   Automóveis que não seriam  muito diferentes destes, que são possíveis de  ver no endereço referido e com os quais as viagens devem ter sido muito arriscadas.
  A minha avó sempre contou histórias fantásticas desta viagem que as guardo para outra altura.
  É certo que os automóveis estavam a dar os primeiros passos mas sem as estradas do ministro Espregueira a minha avó não teria feito esta viagem de automóvel.

Imagem relacionada
Lurdes in santanostalgia.com

  Muito provavelmente a minha avó esteve no solar de Vilartão, passagem obrigatória,  na passagem para Vinhais.


Um século depois, em 2007, regressamos a Vilartão.


Solar de Vilartão antes das obras


 Se não existissem as atuais estradas muito dificilmente teríamos regressado a Trás-os-Montes.










  Outra visita, retirada do arquivo da casa, que eu ainda não consegui identificar.
  Visitas que eu espero manter na tradição da casa e na boa tradição portuguesa de bem receber.

Bibliografia:
     Ferreira, Maria Aline, DR. Armando Morais Soares. O último João Semana, Coimbra, Gráfica de Coimbra 2, 2.º edição, 2008. 

2 comentários:

  1. caro Joaquim

    Aguardo a narrativa da viagem da sua avó a França. Deveria ser uma Senhora destemida.

    Recordo-me que li no espólio de uma Freira, A Madre Teresa Saldanha, uma carta desta à cunhada, datada mais ou menos dessa altura, em que a primeira pede à segunda, que dissuada os sobrinhos de viajar de automóvel de Lisboa a Sintra, que lhe parece uma ideia inqualificável, uma verdadeira loucura.

    um abraço e bom Natal

    ResponderEliminar
  2. Olá Luís

    Espero que tenha tido também um bom Natal.
    Contava ela que foram todos ao padre para se confessarem, antes da partida, e ao médico acrescentava, pois não era seguro que voltassem vivos se não partissem de boa saúde.

    Um abraço

    ResponderEliminar